Revisão de Texto em Fortaleza, Rio Grande do Sul e Brasília

Revisão de Texto em Fortaleza, Rio Grande do Sul e Brasília

Alguns trabalhos revisados em novembro de 2017Revisão de Texto

Minane Ribeiro da Silva e Walder Lima Galvão. Instituto de Educação Superior de Brasília – IESB. Reportagem multimídia. Crise hídrica: uma análise do passado, presente e futuro da água no distrito federal. Trabalho de Conclusão de Curso. Área: comunicação social jornalismo.  Serviço oferecido: revisão ortográfica e gramatical, e formatação. Brasília revisão de texto. 2017.

Victor Grando. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC-RS. Área: Engenharia.  Análise comparativa de painéis pré-fabricados submetidos à flexão e reforçados com fibras de vidro e barras de aço ca-50. Artigo científico. Serviço oferecido: revisão ortográfica e gramatical. Rio Grande do Sul Revisão de Texto. 2017.

Solange Coelho de Azevedo e Tamara Pereira Duarte. Boas práticas para a fiscalização de contrato. Universidade Estácio de Sá. Área: Administração. Trabalho de Conclusão de Curso. Serviço oferecido: revisão ortográfica e gramatical, revisão crítica, e formatação. Revisão de texto Brasília-DF. 2017.

Marcela Romero de Souza. Universidade de fortaleza – UNIFOR. Programa de pós-graduação em psicologia. Os significados da conjugalidade na contemporaneidade: um olhar fenomenológico-existencial Área: psicologia. Dissertação de mestrado. Serviço oferecido: Revisão ortográfica e gramatical, revisão crítica e formatação conforme APA. Fortaleza revisão de texto. 2017.

——————————————————————————————————————–

Você está escrevendo o seu trabalho de conclusão de curso, dissertação de mestrado, tese de doutorado ou precisa revisar um livro antes de publicá-lo? Necessita de revisão para empresa/ONG por preços acessíveis e trabalho de qualidade? Entre em contato conosco. Somos um grupo de revisores da UnB (Universidade de Brasília), da graduação e da pós-graduação. Trabalhamos com revisão de texto há cinco anos. Revisamos monografias, teses, dissertações, livros, anúncios publicitários, redações de vestibulares (atuamos em 2013 no processo de correção de redações do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM)) e também prestamos serviços de revisão para órgãos públicos.

——————————————————————————————————————–

 Contato: andersonhander@gmail.com ou servicos@criteriorevisao.com.br

Para mais informações: http://criteriorevisao.com.br/revisao-de-texto/

Share on Facebook

Revisão de Texto: novembro de 2017

Alguns trabalhos revisados em novembro de 2017 (Revisão de Texto)

Revisão de Texto

Stela Nazareth Meneghel. Suicídio, cultura e trabalho em município de colonização Alemã no sul do Brasil. Artigo científico. Serviço oferecido: (Revisão de Texto) Revisão Ortográfica e Gramatical. Porto Alegre. 2017.

Tamara Pereira Duarte. Boas práticas para fiscalização de contrato. Universidade Estágio de Sá. Revisão Crítica. Serviço oferecido: (Revisão de Texto) Revisão Ortográfica e Gramatical. Formatação (ABNT). 2017. Administração.

Marcela Romero de Souza. Os significados da conjugalidade na contemporaneidade: um olhar fenomenológico-existencial. Fundação Edson Queiroz. Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Fortaleza. Dissertação de mestrado. Revisão Crítica. Serviço oferecido: (Revisão de Texto) Revisão Ortográfica e Gramatical. Formatação APA. Programa de Pós-graduação em Psicologia.

Rafael Silva de Souza. Dificuldades apresentadas no mercado de trabalho contábil: um estudo dos egressos do curso de ciências contábeis. Universidade Federal de Goiás. Goiânia. Serviço oferecido: (Revisão de Texto): Revisão Ortográfica e Gramatical. Formatação. 2017. Ciências Contábeis.

——————————————————————————————————————–

Você está escrevendo o seu trabalho de conclusão de curso, dissertação de mestrado, tese de doutorado ou precisa revisar um livro antes de publicá-lo? Necessita de revisão para empresa/ONG por preços acessíveis e trabalho de qualidade? Entre em contato conosco. Somos um grupo de revisores da UnB (Universidade de Brasília), da graduação e da pós-graduação. Trabalhamos com revisão de texto há cinco anos. Revisamos monografias, teses, dissertações, livros, anúncios publicitários, redações de vestibulares (atuamos em 2013 no processo de correção de redações do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM)) e também prestamos serviços de revisão para órgãos públicos.

 Contato: andersonhander@gmail.com ou servicos@criteriorevisao.com.br

 Para mais informações: http://criteriorevisao.com.br/revisao-de-texto/

Share on Facebook

Revisão de Texto – Julho de 2017

Macapá Revisão de Texto

Revisão de Texto – Julho de 2017

Universidade Positivo. Redes avançadas e segurança. Ransomware. Jorge Sugui Filho e Lukas Phelipe Leucz. Trabalho de Conclusão de Curso. Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação. Área: ciência da computação, engenharia de redes. Curitiba. 2017.

Universidade de Brasília. Faculdade de Direito. A gestão sustentável dos recursos marinhos: a compatibilização entre as áreas de proteção ambiental marinha e os recursos vivos. Trabalho de Conclusão de Curso. Luiz manuel Gómez Cuadra Revisão Ortográfica e Gramatical. Área: direito. Brasília. 2017.

Universidade de Brasília (UnB). Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária. Programa de Graduação em Agronegócios. João Pedro Queiroz Gonçalves. Projeto de Monografia. Formatação conforme normas da ABNT. Área: Agronomia. Brasília. 2017.

Universidade Federal do Espírito Santo. Núcleo de Doenças Infecciosas. Fernanda de Toledo Vieira. Prevalência de doenças transmitidas por carrapatos em cães domiciliados em seis municípios do estado do Espírito Santo, Brasil. Tese apresentada ao Programa de Pós-graduação em Doenças Infecciosas da Universidade Federal do Espírito Santo. Área: Medicina Veterinária. Revisão Ortográfica e Gramatical. Espírito Santo. 2017.

Roberto Khatlab. Brasilibaneses: brasileiros no líbano. Revisão Ortográfica e Gramatical. Livro. 2017.

Universidade Municipal de São Caetano do Sul – USCS. Curso de Pós-graduação lato senso. MBA em Controladoria e Contabilidade Estratégica. Bianca Augusta de Almeida. Planejamento Financeiro: um estudo da falta de aplicação de orçamento familiar e seu impacto no endividamento de renda. Área: Controladoria e Planejamento estratégico. MBA. Especialização. Revisão Ortográfica e Gramatical. São Caetano do Sul. 2017.

Para mais informações, acesse: http://criteriorevisao.com.br/revisao-de-texto/

Solicite o seu orçamento: servicos@criteriorevisao.com.br ou andersonhander@gmail.com

 

 

Share on Facebook

5 razões pelas quais a sua Dissertação deve ser revisada por um Profissional com formação (pós-graduação) em Revisão de Texto/Texto

  1. A dissertação de Mestrado e Tese de Doutorado, diferentemente, de outros gêneros textuais, que são mais popularmente conhecidos, contêm especificidades que devem ser levadas em consideração durante a Revisão de Texto. A atenção a essas especificidades, que dizem respeito à maneira pela qual o texto é desenvolvido, bem como envolve questões relativas ao desenvolvimento de pesquisa em si, não é, comumente, dada por aqueles que não têm experiência na pós-graduação, especialmente, em nível de Mestrado. A graduação não prepara estudantes, especialmente oriundos do curso de Letras, para desenvolverem pesquisa. Muitas vezes, o mestrado é o primeiro contato eficaz de formação de um pesquisador. Sem essa base consolidada, o olhar do Revisor de Texto torna-se limitado. Além disso, é importante, também, que o Revisor tenha experiência com revisão de dissertações de várias áreas, pois cada ciência tem os seus próprios paradigmas científicos, bem como segue orientações específicas para o desenvolvimento de textos acadêmicos.
  2. Evite encaminhar o seu texto para ser revisado por alunos de graduação ou por pessoas que não tenham formação, específica, na área de Letras. Desconfiem daqueles que propõem, apenas, algumas poucas alterações em seu texto ou que não trazem comentários relativos a estruturas que precisam ser reformuladas. Jornalistas dizem-se, muitas vezes, Revisores, Professores de história, mas não têm formação para isso. Da mesma maneira que um profissional na área de Letras não tem formação para atuar em áreas como jornalismo, o profissional de jornalismo não tem formação para atuar na área de Letras, como é o caso do ofício de Revisão. Ocorre que, em virtude de o curso de jornalismo ter maior prestígio social, os estudantes dessa área se empoderam desse fato para oferecer, indevidamente, esse serviço. Revisores de texto precisam de formação em linguística. Estudantes de Letras estudam semântica, sintaxe, morfologia, morfossintaxe, latim e várias outras disciplinas que são essenciais ao olhar do Revisor de Texto, estudantes/profissionais de jornalismo, ao contrário, não têm essa formação. Se eu acredito que nem o curso de Letras é suficiente para formar um Revisor, imagine em relação à formação de estudantes de jornalismo e história… cuidado!
  3. Muitos estudantes intitulam-se bons leitores e conhecedores da Língua Portuguesa. Ser um bom leitor não necessariamente torna alguém um bom Revisor de Texto. Um bom Revisor de Texto, além de ter formação específica na área de Letras e, também, na própria área de Revisão de Texto, precisa de ter anos de experiência nessa área, revisando diversos gêneros textuais. Os olhos de quem, simplesmente, lê não são os mesmos de quem Revisa e trabalha com Revisão de Texto. Inclusive, posso dizer por experiência própria, o meu olhar sobre qualquer texto, mesmo quando lanço um olhar curioso como “leitor”, não é o mesmo desde quando comecei a trabalhar na área de Revisão. Quando Reviso um texto, estou próximo do meu consciente.
  4. Muitos professores de escolas, além de conciliarem o ofício de Revisão com suas atividades em sala de aula, o que diminui, acredito, a qualidade do serviço, em virtude de estes, apenas, compreenderem este ofício como “um bico” e de não se dedicarem o tempo que deveriam para o ofício, não têm conhecimento suficiente sobre o texto acadêmico, especialmente em nível de mestrado. Não desmereço o trabalho de meus colegas, mas acredito que o fato de um Professor revisar textos de escola (muitas vezes sem nem serem pagos para tal, trabalhando sobre pressão) não constitui uma boa justificativa para que estes revisem textos acadêmicos, que necessitam de extrema atenção e cuidado.
  5. Desconfiem de profissionais que oferecem resultados absolutos, daqueles que não deixam claro a importância de o texto chegar às mãos do Revisor com certa qualidade, para que o serviço, de fato, seja eficaz e a publicação do material seja satisfatória. Se você, pesquisador/estudante, não desenvolveu uma boa dissertação/tese, não acredito que um terceiro, um Revisor de Texto, fará “milagres” em seu texto. O fato de o texto ter sido mal formulado por você limita bastante as contribuições que um revisor pode lançar ao seu trabalho acadêmico. Isso parece irracional, certo? Mas não. Não espere e não pense que o Revisor de Texto fará o seu trabalho, desconfie daqueles que afirmam ser possível trazer contribuições em nível de conteúdo. O papel do Revisor não é este. Ele pode até trazer um olhar mais acadêmico ao seu trabalho, em relação á organização do gênero textual em si, mas não deve, jamais, por exemplo, redigir por você. Revisores não são autores, eles trazem contribuições ao seu trabalho e estas dependem, obviamente, da qualidade em que o seu texto chega às mãos desses profissionais.

 

 

Share on Facebook

5 dicas para quem quer escrever um livro

5 DICAS PARA QUEM QUER ESCREVER UM LIVRO

1. Elabore um sumário prévio dos capítulos ou seções

Organizar um livro conforme capítulos ou seções é importante, o que permite facilitar o processo de leitura para o interlocutor. Para que o conteúdo do livro seja bem organizado, seguir essa orientação é fundamental.

Mesmo que o seu livro, no caso de literatura, não siga uma “lógica” temporal ou cronológica, esse processo de organização permite delimitar o que deverá ser realizado, evitando divagações.

Mesmo que o sumário que você elabore não seja definitivo, vale a pena fazer um esboço, que constitui a materialização desse processo lógico de organização.

2. Não se preocupe tanto, inicialmente, com forma

Algumas pessoas conseguem, ao escrever, adequar forma e substância. A forma refere-se a questões gramaticais, estilísticas, ortográficas e de pontuação. A substância, por sua vez, refere-se ao conteúdo do texto. O nosso pensamento é repleto de incoerências.
Quanto mais treinamos o nosso cérebro para evitar essas “falhas”, maior eficácia teremos nesse processo. Mas, de qualquer maneira, em relação a textos, esse processo jamais será absoluto, sejam estes redigidos por um doutores ou mesmo grandes escritores.

Todo texto precisa ser revisado e é um processo sempre inacabado. Portanto, primeiramente, é mais importante escrever e, posteriormente, lapidar o que foi escrito. Não interprete ao “pé da letra” esses dizeres. Não quero dizer que se deve fazer um esboço caótico do texto, ou que não se deva policiar para alguns deslizes. Na verdade, essa dica articula-se bastante à próxima seção, pois muitos deixam de escrever porque gostariam de, em um primeiro momento, obter resultados absolutos e ditos “perfeito”; isso seria possível?

3. “Feito” é melhor do que “perfeito (ou melhor, não feito)”

Não se deve interpretar essa afirmação e banalizá-la com a justificativa de que feito equivale a “qualquer coisa” ou a “mal feito”. Definitivamente, não é isso que quero dizer. No entanto, algumas pessoas se cobram muito e acabam deixando de realizar algo em virtude de ter um senso autocrítico muito severo consigo mesmas. Como o texto é um processo, é importante saber que ele não será NUNCA absoluto e perfeito. O que é possível fazer é lapidá-lo, mas isso exige vários processos. Não pense, também, por outro lado, que quero dizer que é preciso de um trabalho imensurável que seria impossível de ser finalizado.

Às vezes, algumas questões em um livro devem ser deixadas para outra etapa, para uma segunda edição. Deve-se, em algum momento, “parar” esse processo.

4. Distribua a sua produção

Não pense que o seu livro será redigido em, apenas, um dia, mesmo que isso gere ansiedade imensa. Escrever um livro é um processo. Comprometa-se a redigir um número específico de páginas por dia (ou por semana). E se sinta feliz se tiver produzindo, por exemplo, 1 página por dia. Ao final de um mês, você terá 30 páginas redigidas.

5. Encaminhe o seu texto a um revisor

Após finalizar o processo de redação do livro, encaminhe-o a um Revisor e, também, a outros leitores, para que você consiga lapidá-lo.

Share on Facebook

A importância da Língua Portuguesa e suas implicações

A Importância da Língua Portuguesa e suas implicações
Saiba como o Português vem sendo imprescindível nas mais variadas áreas

A Língua Portuguesa é uma Língua rica e, talvez, uma das mais fascinantes entre as demais línguas latinas. Dominá-la, contudo, não constitui, apenas, uma questão de interesse, mas, principalmente, de emancipação do indivíduo, visto que o grau de conhecimento no idioma materno sempre foi um sinônimo de poder. Por isso, não é de se surpreender que os mais eloquentes, sempre, garantam certas vantagens em relação às diversas esferas sociais como em uma entrevista de emprego, no ambiente de trabalho e na família. A seguir, listamos alguns benefícios de saber utilizar a Língua Portuguesa em seus diversos contextos sociais!

O Português para o marketing pessoal

Cada vez mais o marketing pessoal mostra-se fator de destaque em um universo extremamente competitivo. Nesse contexto, o domínio da Língua Portuguesa pode ser uma maneira eficiente de passar uma imagem positiva diante de um entrevistador ou possível parceiro. Como não admirar um discurso inteligente? Quem aprende a apresentar ideias de forma concisa e clara, escolhendo palavras e estruturas que facilitem a comunicação, parece estar “na frente”. No entanto, é algo que exige prática e estudo. Logo, se você deseja que as empresas e colaboradores reconheçam o seu talento nas mais variadas áreas, uma boa ideia é começar a ampliar seus conhecimentos dessa língua-chave, o Português. Procurando ajuda? Acesse: https://preply.com/pt/skype/professores–portuguesa

O Português no mercado

Indiscutivelmente, o Brasil se tornou, ao longo das últimas décadas, uma das grandes potências mundiais. Em consequência disso, o uso do Português para o fechamento de negócios, divulgação da marca, além de palestras e workshops, é indispensável. Contudo, nenhuma empresa se sustenta sozinha. É necessária uma equipe de qualidade, eloquente e com um elevado poder de persuasão e convencimento. Dessa forma, quão melhor for a sua habilidade de aplicar seus conhecimentos de persuasão no dia a dia, falando e escrevendo sem medo, em Língua Portuguesa, maior serão suas chances de crescimento profissional.

Integração social

A língua é viva e, por isso, mesmo indivíduos da mesma cidade podem usá-las de maneira extremamente diferente. Comumente, essa variação aparece de acordo com o tipo de trabalho, status social, gênero e faixa etária. Isso quer dizer, por exemplo, que mulheres médicas podem se expressar, em seu contexto profissional, de maneira parecida entre si, mas de maneira diferente dos adolescentes, em contexto escolar. Por isso, saber utilizar a Língua Portuguesa do Brasil em seus diversos contextos não significa, somente, dominar a gramática, mas ter um leque de opções tão variado que permita ao indivíduo diminuir as barreiras linguísticas existentes em sua sociedade. Aquele que consegue adaptar seu discurso e se faz entender ganha amigos e se comunica de fato. Isso vale tanto para o ambiente laboral como, também, para a esfera pessoal, em relação ao convívio com os vizinhos, às interações com grupo religioso e família.

Sophia Parente

Share on Facebook

Alguns trabalhos revisados (Revisão de Texto 2017)

Alguns trabalhos revisados (Revisão de Texto 2017)

Faculdade Ahanguera. Kássia Christina de Souza Barbosa. Helmintose Zoonótica transmitida por pescado: Diphyllobothrium latum. Trabalho de Conclusão de Curso. Revisão Crítica e Formatação conforme ABNT/manual próprio. Brasília, Taguatinga, 2017. Curso: Biologia.

Cibele Pavanatto Mereth. O dever de fundamentação das decisões judiciais no novo código de processo civil. Faculdade Dom Bosto. Artigo científico. Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação. Curitiba, 2017. Curso: Direito.

Antônio Alencar Filho. Projeto de mestrado. Universidade Federal do Pará. Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA). Tucuruí, Pará. 2017. Projeto de mestrado. Revisão Crítica.

Universidade de Brasília (UnB). Camila Oliveira Macêdo. (Re)Planejamento de cursos de Português como Segunda Língua: um caminho para política institucional. Dissertação de Mestrado. 2017. Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução: Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada. Brasília, 2017.

Maria Elisa Granchi e Kátia Mara Turíbio. Processamento sensorial: sua alteração prejudica o brincar ativo e funcional da criança autista. Revisão Ortográfica e Gramatical. Artigo científico. 2017.

Share on Facebook

Outsider na Tailândia

Primeiras impressões sobre a Tailândia

Eu confesso que nunca experienciei nada como a Tailândia. E Bancoque, acredito, é um mundo à parte. Bancoque é uma cidade gigante. Outro dia, fui ao dentista, de táxi, demorei quase uma hora e meia para chegar (e o taxista, para variar, não conseguiu encontrar o endereço rsrs). No final das contas, eu tive que aprender a andar de metro (fiquei perdido por quase umas 3 horas, tentando encontrar a clínica e depois o lugar onde eu morava. Decidi morar um pouco afastado do centro, que é bem caótico e barulhento como São Paulo)…

Muitas pessoas, como eu, decidem ir à Tailândia para fazer tratamento de dente (não somos loucos! Só não somos obrigados a pagar o valor abusivo da maioria dos dentistas). O meu dentista, por exemplo, é formado nos EUA, tem mestrado, doutorado lá também, a clínica tem boa infraestrutura e todos aqueles certificados internacionais; mas o preço é bastante em conta). Há vários fóruns, na internet, de estrangeiros indicando clínicas e relatando as experiências deles (muita gente vem colocar facetas de porcelana, que, no Brasil, chega a custar entre 1000 a 2000 reais por dente e aqui o custo pode variar entre 700 a 300 reais. NÃO, não é de qualidade inferior ao material produzido no Brasil ou em qualquer outro lugar do mundo. O meu dentista (pesquisei muito até decidir fazer o tratamento com ele), por exemplo, na fabricação de coroas etc. importa, praticamente, a maioria dos materiais da Alemanha). Obviamente, deve haver profissionais ruins como em todos os lugares (tive uma experiência ruim com dentista na Europa, por exemplo). A Tailândia é muito conhecida, também, por ser um lugar que faz cirurgia de mudança de sexo, legalizada e permitida pelo governo. Na verdade, parece haver uma “falsa” aceitação sobre questões LGBT aqui. Outro dia, conheci uma modelo transgênero, ela me contou essas coisas que compartilho neste texto com vocês. A Tailândia é considerada a capital da beleza da Àsia, cirurgia de nariz, para aumentar os olhos são comuns. Na verdade, eles estão bastante ocidentalizados para o meu gosto.

A história do garoto espanhol que tinha um Buda tatuado no braço e não pode entrar no país ainda é uma discussão recente. Quando saí do aeroporto, vi um anúncio gigante dizendo que os estrangeiros deveriam respeitar a tradição tailandesa;a tatuagem do “Buda” representa uma “afronta” à cultura tailandesa. Achei interessante: em cada esquina por onde ando, há um “minitemplo”, igual a um “presépio” com um Buda. Nunca vi tanta comoção, há mais homenagens ao rei morto do que “minitemplos” pela cidade. Até na entrada do meu condomínio, há uma foto gigante do rei com flores brancas contrastando com as pedras pretas de mármore do edifício (ui rsrs).

No dia que me perdi pelo centro da cidade, rodei, rodei, saí perguntando em inglês, para as pessoas na rua, como chegar ao meu bairro (no caminho saía comprando tudo que via pela frente. Encontrei ovo rosa, fiquei empolgado, comprei, depois, quando abri, vi que era ovo choco, com o pintinho quase em formação (eca!). Acabei comprando um chip, fazendo mímica no mercado, e consegui me localizar melhor com o meu celular. Aprendi a agradecer, juntando as palmas das minhas mãos e abaixando o meu queixo até os dedos, fazendo carinha de pastelzinho ahauahauahau (achei tão bonitinho :)).

Cada compra saía por um valor mais barato do que outro. Apesar do medo (de pegar uma infecção alimentar, mas eu levei comprimido de carvão mineral comigo, baby 0/), parei em uns três restaurantes locais, aqueles com cadeiras de plástico e experimentei os apimentados (e muito doces) pratos tailandeses. MUITO BOM! Durante as várias vezes que fui ao mercado, percebi que eles vendem quase todos os itens em pequena quantidade. As porções de comida são muito pequenas, acredito que isso se articula ao estilo de vida deles, eles devem comer muitas vezes ao dia, em pouca quantidade, por isso são, geralmente, magros. Mas, para um atleta como eu rsrs, preciso, ao menos, de umas três refeições deles. Eles, também, consomem pouca proteína de carne, os pratos contêm mais carboidratos. Alguns Iogurtes têm gosto artificial. Alguns sucos têm gosto de remédio.

Poucas pessoas falam inglês, eu não entendo o sotaque. Mas todos são muito gentis e fazem mímica, sorriem bastante (ainda não identifiquei o sentido dos sorrisos, parecem todos iguais para mim). Um calor! O termômetro marca 30 graus, mas eu sinto que é 40 O.o. As calçadas não são lugares, somente, de pedestre, mas de motos também (isso mesmo), o trânsito até nas calçadas é muito louco por aqui rsrs.

Sinto um ar meio “OUTSIDER”. Na verdade, sempre me senti assim, mas parece que este é o meu lugar rsrs, eu me sinto bem normal na Tailândia. E eu nunca vi tanto estrangeiro OUTSIDER como aqui (parece que estão todos vivendo as suas realidades paralelas e é isso aí, todo mundo na sua, tranquilo rsrs, os tailandeses, também, são muito tranquilos, as pessoas não ficam olhando para você na rua como no Brasil, encarando ou te avaliando).

A arquitetura da cidade é bem diferente, eu me sinto naqueles episódios de Jaspion, com os carros coloridos e aqueles prédios estilo asiático, Power Rangers, fica algo assim no ar. Quando vejo algum estudante vestido de uniforme no metrô, fico lembrando do uniforme da Saylor Moon. Fiz amizade com umas pessoas muito interessantes, gente de boa energia. Não é aconselhável beber água da torneira. Os condomínios tailandeses são muito bonitos e modernos. Ainda quero ir à capital dos Nômades Digitais, Chiang Mai, para conhecer mais pessoas como eu. Quero fazer massagem tailandesa, aulas de meditação.

É tudo tão diferente que até sacar dinheiro no ATM do mercado é novidade ^^. (Aparecem umas opções com brindes rsrs, depois que você saca o dinheiro, mas eu acho que é propaganda enganosa, não quis arriscar).

Estou curtindo demais!

Bjs

Share on Facebook

Alguns trabalhos revisados em 2016

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS). Escola de Educação Física. Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano. Mosiah Brentano Rodrigues. Programa Bolsa atleta e sua configuração no cenário esportivo brasileiro. Porto Alegre. 2016. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dissertação de Mestrado. (Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação conforme normas da ABNT).

Universidade de Brasília (UnB). Instituto de Letras. Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução. Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada. Camila Oliveira Macêdo. (RE)Planejamento de cursos de Português como Segunda Língua: uma perspectiva de política institucional. Brasília. 2016. Dissertação de Mestrado. Revisão Ortográfica e Gramatical.

Universidade Federal Fluminense. Wagner de Araujo Rezende. Laboratório de Tecnologia, Gestão de Negócios e Meio Ambiente. Mestrado em Sistemas de Gestão. Identificando padrões de comprometimento do Profissional em situação de crise econômica do mercado brasileiro: estudo de caso de uma empresa de varejo no estado do Rio de Janeiro. 2016. Revisão Ortográfica e Gramatical.

Universidade de Pernambuco. Leitura da farsa da boa preguiça como motivação ao letramento literário na EJA. Luzia Cristina Magalhães Medeiros. Dissertação de mestrado. 2016. (Revisão Crítica e Formatação conforme normas da ABNT).

Facultad Interamericana de Ciencias Sociales (FICS). Mestrado em Ciências da Educação. Luciana Carvalho dos Reis. A formação do leitor no Ensino Médio: competências e habilidades no Ensino de Literatura Machadiana. Asunción, Paraguay. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Bento Gonçalves. Rafael de Souza. Um olhar para a temática energia ao longo da história à luz da perspectiva ciência, tecnologia e sociedade. Trabalho de Conclusão de Curso. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

O processo de avaliação escolar: intervenção na EJA da E. M. Eurica Alves Moreira de MG. Nayara Cavalcanti Padro e Magna Campos. Trabalho de Conclusão de Curso. Artigo científico. Minas Gerais. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação conforme normas da ABNT).

Universidade Federal de Ouro Preto. A instituição da prática pedagógica como principal eixo de reflexão da avaliação e aprendizagem da escola. Elis Regina Maia do Nascimento. Luciana Gomes Castanheira. Artigo científico. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). Deleze e Guattari: sobre a conjugação dos fluxos descodificados e a subjetividade capitalística. Artigo científico. Jonivan de Lima Santos. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPTSP). Eduardo Briguenti Vieira. Análise Arquitetural de Sistemas de Localização para Ambientes Fechados. Dissertação de mestrado. Mestrado em Engenharia da Computação. São Paulo. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

Instituto de Ensino e Pesquisa (INPER). Programa de Mestrado Profissional em Economia. Karine Córdoba Thurler Farias. Abertura e Inflação. São Paulo. Dissertação de Mestrado. 2016. (Revisão Crítica e Formatação).

Fundação Dom Cabral (FDC). Paulo Henrique Souza. Análise Financeira do Projeto de Investimento de Capital na Unidade CIPATEX Adesivos. Nova Lima. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação).

O Céu não é o limite: vá mais além. Vilson Guedes. Livro. 2016. (Revisão Crítica).

Contatos

Facebook: https://web.facebook.com/criteriorevisao/ (curta a nossa página no Facebook!)

Telefone: (61) 99801-6596 (Whatsapp)

Skype: criteriorevisaotextual

E-mail: andersonhander@gmail.com ou servicos@criteriorevisao.com.br

Instagram: @criteriorevisao (siga-nos!)

Aguardamos o seu contato.

Share on Facebook

Ser Nômade Digital enjoa?

Ficou de “saco cheio” da Tailândia? Pegue um avião e vá para outro país; cansou da Ásia? Vá para a Europa, cansou de tudo, quer ir ao Brasil? Vá ao Brasil (até você enjoar novamente rsrs) e, então, faça tudo novamente (ou não, experiencie novas rotas, novos lugares em um país. Você precisaria de, no mínimo, umas 200 vidas para conhecer todo o mundo. É, praticamente, impossível, mesmo que conheça todos os países do mundo, não encontrar uma razão para voltar a um local, porque, mesmo que você já tenha esgotado as possibilidades de passeios em um mesmo país/cidade, quando você voltar a um local, a sua experiência nunca será a mesma de antes, então, você, sempre, experienciará coisas novas. É por isso que viajar é algo que eu farei, SEMPRE, enquanto eu viver, porque é impossível enjoar de viajar, você pode querer descansar, por um tempo, mas “enjoar” não). É exatamente isso, nada é fixo e permanente. Os intervalos de tempo você decide, se quiser dividir o seu ano entre 6 meses no Brasil e 6 meses na Europa, é possível (mesmo sem passaporte Europeu, mas você terá de passar 3 meses em um país da Europa e 3 meses em outro que não pertença ao espaço de Schengen. Se você tiver toda a documentação corretamente e dinheiro, não será deportado, não terá problemas com imigração de país algum). No meio de todo esse “vai e vem”, você fará amizades, conhecerá pessoas e criará alguma ligação com algum lugar e acabará se sentindo (eu pelo menos me sinto assim) cidadão do mundo e terá alguns lugares favoritos no mundo para onde você, provavelmente, voltará algum dia (no meu caso: Brasil, Espanha e Croácia). Eu cansei, neste final de ano, de ficar “pulando para lá e para cá”, então, voltei para Sevilha, Espanha, onde tenho amigos.

Eu gosto de ficar mais tempo em um lugar, de 3 a 6 meses. Mais do que isso, me sinto em uma rotina, então, eu me mudo para me reinventar e me tornar mais produtivo. Quero ir ao Brasil no ano que vem, mas não consigo ficar mais do que 2 semanas na cidade onde os meus pais moram e, em Brasília, onde eu morava, eu não quero passar mais do que 1 semana, de lá vou ao Rio, do Rio a São Paulo e, de São Paulo, eu volto para algum país em qualquer lugar do mundo. Se com a idade eu pararei com isso? Acho que não. Pessoas mais velhas, também, viajam (mesmo que com menos frequência). E, mesmo que você fique, somente, 2 meses em um país, isso já o torna nômade, desde que você trabalhe, remotamente, nesse local, caso contrário, você será empreendedor digital que tirou férias em algum lugar ou, simplesmente, turista, mas não Nômade Digital.

Se for muito apegado à sua família ou for uma pessoa que gosta de viver em comunidades, talvez o Nomadismo Digital não seja uma opção, pelo menos não para viver mudando tanto. Mas cada um decide o seu ritmo como Nômade Digital. Alguns têm uma base onde permanecem por semanas, dias um ou dois anos e, posteriormente, voltam a viajar, porque têm a liberdade de trabalhar em qualquer lugar do mundo.

Share on Facebook