Guia prático para elaboração de pré-projeto de mestrado

Por meio do Guia Prático para elaboração de pré-projeto de mestrado, você aprenderá como redigir pré-projeto para ser aprovado em Processo seletivo de Mestrado de universidades federais ou particulares brasileiras. O material trata desde a escolha do tema ao recorte/afunilamento deste. Cada uma das seções do material diz respeito a uma etapa de desenvolvimento de pré-projeto. Também são utilizados exemplos para explicar como recortar o tema e como desenvolver o problema de pesquisa.

Pré-projeto de mestrado

Diferencial

O material é específico para quem pretende ser aprovado em processo seletivo de mestrado. Além desse material, também, desenvolvi um audiocurso para auxiliar futuros mestrandos que querem uma vaga em curso de mestrado de universidades federais brasileiras (Audiocurso em MP3: como passar em processo seletivo de mestrado).

Caso queira adquirir os dois materiais, informe o código de promoção ODNARTSEM ao meu e-mail e você receberá um desconto de 30%.

Obs: presto consultoria, há mais de cinco anos, para auxiliar estudantes a serem aprovados em processo seletivo de mestrado de instituições de todo o território brasileiro.

Quanto custa?

O custo é simbólico: 50,00 reais apenas. O material contém 45 páginas e está segmentado em 7 seções. Veja a lista de títulos e subtítulos do material ao final deste post.

Como adquirir/comprar o material

Efetue o pagamento por meio do Pagseguro (tenho 100% de minhas negociações qualificadas positivamente por meio do site) e receba o e-book em seu e-mail após o pagamento. Você, também, pode solicitar a compra diretamente ao meu e-mail: servicos@criteriorevisao.com.br ou andersonhander@gmail.com (e pode efetuar o pagamento por meio de boleto bancário).




Por que adquirir este material?

Você me ajudará a manter o meu site e me motivará a continuar produzindo materiais de qualidade. Eu trabalho remotamente há vários anos como Revisor de Textos e produzo bastante material para ajudar as pessoas pela internet (a grande maioria material gratuito). Eu tenho mais de 300 artigos escritos por mim em meu próprio site e mais de 100 vídeos em meu canal do Youtube.

Conheça as seções do e-book

1. GUIA PRÁTICO PARA DESENVOLVIMENTO DE PRÉ-PROJETO DE MESTRADO

1.1 IMPLICAÇÕES DO EDITAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE PRÉ-PROJETO DE MESTRADO.

1.2 PRÉ-PROJETO, ANTEPROJETO, PROJETO E DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

2. ESCOLHA DO TEMA E RECORTE TEMÁTICO.

2.1 A ESCOLHA DO TEMA

2.3 O RECORTE TEMÁTICO

2.4 COMO PENSAR O TEMA E RECORTE TEMÁTICO PARA PESQUISA?

2.5 COMO RECORTAR O TEMA DA PESQUISA E DEIXÁ-LA MAIS CIENTÍFICA?

3. PROBLEMA DE PESQUISA

3.1 COMO PENSAR O PROBLEMA DE PEQUISA COM BASE NO RECORTE TEMÁTICO?

4. DESENVOLVIMENTO DO PRÉ-PROJETO

4.1 INTRODUÇÃO

4.1.1 O que NÃO redigir na introdução

4.2 JUSTIFICATIVA

4.3 REFERENCIAL TEÓRICO

4.3.1 Como escolher os autores e fontes para o desenvolvimento do texto do pré-projeto?

4.3.2 Qual parâmetro utilizar para selecionar um autor?

4.4 METODOLOGIA

4.4.1 ABORDAGEM QUALITATIVA VERSUS QUANTITATIVA

4.4.2 COLETA DE DADOS

4.5 CRONOGRAMA

4.6. REFERÊNCIAS

5. LINGUAGEM DE PRÉ-PROJETO DE PESQUISA E ASPECTOS GRAMATICAIS

6. FORMATAÇÃO DO TEXTO DE PRÉ-PROJETO DE MESTRADO

7. CONCLUSÕES

REFERÊNCIAS

Share on Facebook

Reprovação em processo seletivo de mestrado

Reprovação em processo seletivo de mestrado

Você acabou de receber o resultado de reprovação em processo seletivo de mestrado e não sabe o que fazer? Convido-o(a) a uma reflexão, com base em minha experiência, neste post.

Fui, também, reprovado em processo seletivo de mestrado em universidade federal. Muitos colegas, ao contrário, que estudaram comigo, foram aprovados no mesmo processo, no mesmo semestre. Fiquei me perguntando o porquê de minha reprovação. Algumas semanas após pensar bastante, entendi o que havia ocorrido.

Na época, eu trabalhava em dois empregos e, embora tivesse me dedicado bastante durante a graduação, não me dediquei o suficiente para ler as referências sugeridas pelo edital de processo seletivo de mestrado de minha universidade. ]

Fui reprovado, exatamente, na prova escrita. Havia, somente, três questões, e uma delas, a de maior peso, eu não consegui responder, pois não cheguei a ler um capítulo proposto em uma das obras no edital (e eu não tive, verdadeiramente, muito tempo para me dedicar). Portanto, 

O porquê!

Além de trabalhar em dois empregos, inclusive, aos finais de semana, a escola onde eu trabalhava exigia que eu corrigisse, gratuitamente, toda semana, redações de mais de 300 alunos da escola. Então, em meu tempo livre, em vez de fazer qualquer atividade saudável ou que me acrescentasse algo, eu me frustrava corrigindo redações de alunos =) e ainda conseguia pensar que seria aprovado. Pensei que o fato de eu ter me dedicado bastante na graduação, e ter tirado sempre boas notas nas disciplinas, me levaria ao caminho do sucesso.

Isso pode ocorrer caso as perguntas da prova escrita sejam bastante genéricas em relação à sua ciência. Mas não vale a pena “pagar para ver”. Portanto, enfoque o conteúdo proposto pelo edital. Foco. E, caso você não tenha tanto tempo para se dedicar, é preciso abrir mão de algo para fazer a sua aprovação acontecer, seja reduzir a sua hora de trabalho e ganhar menos, seja parar de trabalhar por algum tempo. Portanto, portanto, primeiramente.

Eu não tinha um outro plano. Não cheguei a cogitar a ideia de reprovação. Fiquei triste, desapontado… outros fatos em minha vida também ocorreram paralelamente à reprovação, o que, em vez de me “derrubar”, me trouxe, portanto, mais força para tentar novamente. Senti-me envergonhado por ter sido reprovado.

Era véspera de Ano Novo, em vez de comemorar a “virada” em festas e eventos, ou de passar o Ano Novo com a “família”, ouvindo desaforos de algumas pessoas que nem considero meus familiares,  eu decidi passar essa data elaborando um projeto de estudo para o próximo ano, em que eu obteria a aprovação. (Somente nós sabemos de nossas falhas, de nossas dores, de nossas fraquezas, então, ninguém melhor do que nós mesmos para nos levantar.) Primeiramente,

A preparação

Naquela noite, ouvindo os fogos de artifício em plena virada, eu comecei a pensar, racionalmente, onde errei e criei um cronograma de estudo, alguns meses antes do novo processo seletivo. Portanto,

Também abri mão de algumas coisas para ter tempo para me dedicar aos estudos, de uma maneira saudável, sem correria, estudando com qualidade. Portanto, li o edital duas vezes, busquei as obras solicitadas no edital. Resumi cada um dos livros, ao longo de 3 meses, li-os duas vezes e, posteriormente, para não esquecer o conteúdo, atentava-me aos resumos. Portanto,

O sucesso

Fui aprovado em sétimo lugar e obtive nota 8,7 na prova escrita. A minha maior dificuldade, na época, era memorizar o conteúdo das obras propostas pelo edital, que eram obras que nunca tinha lido durante a graduação. portanto, portanto.

Confesso a vocês que esta foi a parte mais fácil de toda essa caminhada, eu não sabia, a essas alturas, que o mais difícil desse processo seria terminar o mestrado. O dia em que eu recebi o meu título de mestre foi um dia muito emocionante. E, com certeza, valeu muito a pena por cada minuto de dedicação. Primeiramente,

Gravei um áudio trazendo algumas reflexões a respeito de reprovação em Processo seletivo de mestrado. Falo no áudio sobre cada uma das etapas do processo seletivo de mestrado e sobre as dificuldades e barreiras nesse processo. Espero poder contribuir para a aprovação de vocês! Portanto,

Compartilhem conosco, também, a sua história, para motivar outras pessoas!

 

Share on Facebook

Alguns trabalhos revisados

Alguns trabalhos revisados (Revisão de Texto 2017)

Seguem informações a respeito de alguns trabalhos que revisei em 2017, relativos a várias áreas do conhecimento e oriundos de diversas instituições de todo o Brasil.

Faculdade Ahanguera. Kássia Christina de Souza Barbosa. Helmintose Zoonótica transmitida por pescado: Diphyllobothrium latum. Trabalho de Conclusão de Curso. Revisão Crítica e Formatação conforme ABNT/manual próprio. Brasília, Taguatinga, 2017. Curso: Biologia.

Cibele Pavanatto Mereth. O dever de fundamentação das decisões judiciais no novo código de processo civil. Faculdade Dom Bosto. Artigo científico. Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação. Curitiba, 2017. Curso: Direito.

Antônio Alencar Filho. Projeto de mestrado. Universidade Federal do Pará. Programa de Pós-Graduação em Estudos Antrópicos na Amazônia (PPGEAA). Tucuruí, Pará. 2017. Projeto de mestrado. Revisão Crítica.

Universidade de Brasília (UnB). Camila Oliveira Macêdo. (Re)Planejamento de cursos de Português como Segunda Língua: um caminho para política institucional. Dissertação de Mestrado. 2017. Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução: Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada. Brasília, 2017.

Maria Elisa Granchi e Kátia Mara Turíbio. Processamento sensorial: sua alteração prejudica o brincar ativo e funcional da criança autista. Revisão Ortográfica e Gramatical. Artigo científico. 2017.

——————————————————————————————————————–Valores e serviços 

1 – Formatação (conforme a ABNT, APA, Vancouver ou manual desejado): 4,00 reais a lauda. Inclui checagem a respeito de formatação das Normas da ABNT ou manual desejado*;

2 – Revisão Ortográfica e Gramatical: 5,00 reais a lauda. Inclui revisão ortográfica conforme o Novo Acordo Ortográfico, observação de aspectos de concordância/regência nominal e verbal, crase, pontuação e outros aspectos gramaticais relativos à linguagem do gênero textual proposto;

3 –  Revisão Ortográfica e Gramatical  + formatação (ABNT ou manual desejado): 7,00 reais a lauda.  Inclui revisão 2 + formatação (ABNT/outros);

4 – Revisão Crítica: 10,00 reais a lauda. Inclui revisão 2 (Revisão Ortográfica e Gramatical), além de sugestões estilísticas, *reescrita/sugestão de reescrita de parágrafos mal elaborados, adequação vocabular, progressão textual e aspectos de coesão e coerência. Essa revisão também inclui sugestões e dicas em relação ao gênero textual proposto.

5 – revisão crítica + formatação (conforme ABNT ou manual desejado): 12,00 reais a lauda.  Inclui revisão 4 e contempla algumas questões relativas à padronização de seu texto que não são estabelecidas, por exemplo, pelas normas da ABNT (ou pela maioria dos manuais universitários) e por manuais gramaticais ou ortográficos, como é o caso de uniformização de siglas, uniformização de pontuação ao final de enumeração, uniformização de iniciais minúsculas ou maiúsculas, uniformização de extensão de parágrafos, enfim, questões relacionadas à lógica organizacional do próprio texto e de seus elementos.

6 – revisão de redação: 40 reais por página. Corrigimos a sua redação conforme padrão de correção do ENEM, UnB ou universidade desejada. O serviço inclui revisão ortográfica e gramatical, contemplando os seguintes aspectos: novo acordo ortográfico, observação de adequação vocabular, comandos da proposta de redação, adequação vocabular, coesão e coerência, observação a respeito de regras de pontuação, uso de crase, regência verbal e nominal, e concordância verbal e nominal. O serviço também inclui crítica em relação ao conteúdo do texto (feitas por meio de caixas de comentários), bem como adequação da linguagem ao gênero textual proposto. Para cada redação revisada, poderá ser encaminhada, gratuitamente, uma nova versão reescrita desse texto com base nas considerações propostas pelo revisor.

7 – revisão de anúncios publicitários: 100,00 reais por anúncio. O serviço inclui avaliação crítica a respeito da lógica organizacional do anúncio: estética, significação de cores, coesão e coerência, articulação entre linguagem verbal e não verbal, adequação de linguagem verbal e não verbal ao público-alvo. Também serão analisados os sentidos revelados pelo anúncio. Além das indicações de correção no próprio anúncio, o cliente receberá um relatório crítico contemplando todos os aspectos de análise.

Obs: 1 lauda = 1.300 caracteres

——————————————————————————————————————–

Contatos

Facebook: https://web.facebook.com/criteriorevisao/ (curta a minha página no Facebook!)

Telefone: (61) 99801-6596 (Whatsapp)

Skype: criteriorevisaotextual

E-mail: andersonhander@gmail.com ou servicos@criteriorevisao.com.br

Instagram: @criteriorevisao (siga-me!)

Aguardo o seu contato.

Share on Facebook

Como passar no mestrado

Como passar no mestrado?

Geralmente, as provas para concorrer a uma vaga em um curso de mestrado, em uma universidade federal, são quatro: prova escrita, prova de língua estrangeira, avaliação de projeto e entrevista.

Obs: leia os comentários deixados por mais de 200 seguidores, em meu post sobre o meu curso: Como passar em Processo Seletivo de Mestrado. Respondi, nos comentários deste, a várias dúvidas de futuros mestrandos que podem, também, inspirá-lo ou lhe trazer alguma reflexão. Veja os comentários ao final da página). Se quiser, deixe, também, ao final deste post, o seu comentário/dúvida). 

Prova escrita

A prova escrita depende basicamente de estudo. É importante verificar, no edital de seleção, a bibliografia recomendada, estudar os conteúdos e revisá-los até o dia do exame. É claro que uma boa escrita já corrobora a sua aprovação, independentemente da área de estudo. Quando eu fui aprovado no processo seletivo do mestrado, eu me dediquei bastante a essa etapa. Primeiramente eu li a bibliografia recomendada, busquei outros autores que me ajudassem a interpretar a bibliografia proposta, fiz resumos, fichamentos e revisei, durante dois meses, o conteúdo antes da prova, especialmente nas últimas semanas.

Prova de Língua estrangeira

A prova de língua estrangeira (inglês) é uma etapa fácil para aqueles que têm nível intermediário de inglês. Já os iniciantes devem estudar um pouco mais. A minha prova foi relativamente simples, era possível o uso de dicionários e as respostas eram escritas em Língua Portuguesa. Eu fui aprovado nesta etapa com nota 8,6. O meu nível de inglês é bom, eu diria intermediário.

Avaliação de projeto (Pré-Projeto)

Quando você faz a inscrição para o mestrado, você deve anexar, juntamente aos seus documentos, o seu pré-projeto. Eu não conhecia professores da minha área de interesse, por isso, fiz o pré-projeto SOZINHO, com base na bibliografia proposta no edital. Eu busquei alguns modelos na internet, mas basicamente o pré-projeto continha capa, título do projeto, local e data. Na introdução, eu expliquei o tema e recorte do pré-projeto, o contexto da pesquisa, na justificativa, eu expus a minha motivação para com a minha temática e, mais especificamente, para com a minha área de interesse: LINGUÍSTICA.

As próximas páginas foram dedicadas aos pressupostos teóricos e à metodologia. Essa foi a etapa mais complexa para a elaboração do pré-projeto, pois eu não sabia absolutamente nada sobre metodologia, uma vez que eu NUNCA havia feito pesquisa antes. E, sinceramente? Não me adiantou muito a metodologia do meu pré-projeto; porque eu não utilizei NADA do que eu escrevi.

Na época, eu não tinha muita maturidade sobre o assunto, então, eu fiz o possível para mostrar à banca examinadora que eu tinha condições (e INTERESSE) em aprender novas abordagens e métodos que pudessem contribuir com a minha pesquisa. Mas se alguém tivesse me dito para estudar sobre pesquisa qualitativa e quantitativa, epistemologia e ontologia, eu teria me saído melhor. As páginas seguintes foram dedicadas ao cronograma de execução, e por fim as referências bibliográficas.

Confesso que fiquei bastante apreensivo nessa etapa, pensei que seria reprovado, mas, para a minha felicidade, eu fui aprovado com 9,5. Acredito que essa nota foi resultado de uma boa escrita, revisei o meu texto várias e várias vezes e ainda enviei-o a alguns revisores.

(Para mais informações sobre revisão: http://andersonhander.wordpress.com/revisao-de-texto/)

LINK PARA COMPRA DO CURSO

https://criteriorevisao.com.br/compre-o-seu-curso-como-passar-no-mestrado/

OBS: eu faço um parêntese aqui para explicar que o mestrado é um PROCESSO de maturação de ideias e de muito estudo, por essa razão, eu o considero um momento de grande crescimento (inclusive, pessoal). Não se frustrem caso o seu pré-projeto, embora seja aceito pela banca examinadora, seja criticado por alguns professores, especialmente por aqueles com a visão mais fechada em suas próprias áreas de estudo. Felizmente, eu consegui utilizar o meu pré-projeto no mestrado (apesar de modificá-lo bastante) e encontrei uma orientadora que se interessou pela minha pesquisa. Eu digo isso porque alguns orientadores podem querer orientá-lo(a) somente se lhes convir o tema proposto.

Entrevista (a hora do agora ou nunca!)

Sem dúvida a entrevista é a pior parte do processo. Eu confesso que o processo de seleção do mestrado é muito desgastante, especialmente porque ele é um processo longo, que chega a durar quase um mês até o resultado final. E se nós contarmos o período de inscrição e de preparação, o processo estende-se, talvez, a um ano.

Depois da aprovação em todas as etapas, chega o dia da entrevista. Não acredito que a sua roupa deva ser o seu melhor atrativo para esse dia. É óbvio que vivemos em uma sociedade de aparências e que você não deve chegar a sua entrevista com trajes exóticos, exagerados ou indevidos para a ocasião. Eu fui de camisa social e de bermuda (Ok, eu cometi essa grande gafe, mas fui aprovado rsrsrs). Sentei em frente à banca, eles ligaram o gravador e a entrevista começou.

A banca era composta por três doutoras. Inicialmente, elas pediram para eu falar sobre o meu projeto e, posteriormente, fizeram perguntas específicas sobre ele, sobre o tema que eu havia abordado, sobre a bibliografia utilizada e sobre os autores principais de minha pesquisa. Uma das doutoras trabalhava com a minha área, ela me fez muitas perguntas e conseguiu me deixar com MEDO, o que me gerou um certo nervosismo e me deixou um pouco atrapalhado ao responder algumas perguntas. Em compensação, e para a minha sorte, eu respondi muito bem aos outros questionamentos. Elas perguntaram sobre a minha vida acadêmica, sobre os meus projetos na Universidade, sobre o meu interesse na área de estudo escolhida.

Eu sempre estive engajado na Universidade em extensão e ensino. Participei de um projeto de extensão lecionando na UnB nos anos de 2008 e 2009, atuei como monitor de eventos, e sempre tive vontade de viajar, por isso, fiz intercâmbio, trabalhei em ONGs, cursei várias disciplinas de outras áreas, enfim, acredito que o meu período de graduação foi bastante produtivo e isso me ajudou a ser aprovado na entrevista, apesar do meu nervosismo, que não era sinônimo de insegurança ou imaturidade. Eu fui aprovado no mestrado de linguística da Universidade de Brasília (UnB) em sétimo lugar. A média para aprovação era 7,0, as minhas notas foram: 8,6 (prova escrita), 8,6 (prova de língua inglesa), 9,5 (pré-projeto) e 8,5 (entrevista).

Estou na etapa final do mestrado. A minha defesa será marcada em um mês. Às vezes, algumas pessoas dizem que não vale a pena fazer mestrado, que não é preciso de mestrado para que se consiga um bom salário, especialmente um bom salário de professor e que a carreira acadêmica não é prestigiada economicamente. O mestrado realmente não é um investimento econômico em si, mas tem me completado e me ajudado a refletir sobre as minhas profissões (eu sou Professor e Revisor de Textos),  a ciência que eu estudo (linguística),  a minha posição como ator social nos tempos em que vivo, enfim, eu me sinto mais consciente de minhas escolhas e eu diria de mim mesmo.

Tenho um canal no youtube com muitas dicas para quem pretende fazer mestrado,  portanto, inscrevam-se, aproveitem os vídeos e os compartilhe com os colegas:

Como passar no mestrado

Pesquisa qualitativa e pesquisa quantitativa: introdução

Recorte temático: dissertação de mestrado

Linguagem de textos acadêmicos

Como elaborar resumo de tcc, dissertação e tese?

Como elaborar referencial teórico?

Share on Facebook

Sobreviver ao mestrado

Sobrevivi ao mestrado

Para mim, o mestrado foi um processo de grande crescimento, mas, ao mesmo tempo, foi um processo muito doloroso. E o mais difícil não foi, de fato, ser aprovado no exame, mas sobreviver ao processo em si, conciliar estudo e trabalho, ir a conferências, congressos, publicar artigos, cursar disciplinas…

Tive muita dificuldade para encontrar um orientador que tivesse interesse no meu tema e recorte. Depois de entrar em contato com todos os professores do departamento, alguns nem responderam, encontrei uma pesquisadora maravilhosa: Cibele Brandão. Fui muito bem acolhido por ela, que teve toda a paciência para me guiar, transmitir o que ela sabia e ajudar-me a superar as minhas dificuldades.

Durante o mestrado, conheci uma moça do Programa de Pós-Graduação da UnB que foi para a defesa sem orientador(a), pois nenhum professor teve interesse em seu trabalho sobre rap. Isso é um grande problema, pois os pesquisadores, inclusive, por uma orientação da própria Capes, interessam-se somente pelas suas respectivas áreas.

Conciliar estudo, trabalho e pesquisa foi um grande desafio. Eu já estava acostumado a trabalhar e estudar, mas o mestrado exigiu muito mais do que eu estava acostumado. Tive de estudar durante madrugadas, finais de semana, tive de aproveitar todas as minhas possíveis faltas para estudar e agilizar a minha vida.

Um outro grande desafio foi encontrar colaboradores para a minha pesquisa. Cheguei a marcar, em quatro dias, grupos focais, mas sempre alguém “furou” e não compareceu. Essa etapa foi muito desgastante.

Além disso, demorei quase oito meses para conseguir aprovação do Comitê de Ética, pois a instituição a qual pesquisei “me enrolou” bastante para assinar o meu Aceite Institucional e, sem a assinatura desse documento, não poderia continuar com a minha pesquisa e gerar os meus dados.

Um ano depois do mestrado, entrei em crise, e eu estava tão sobrecarregado que decidi, duas vezes, abandonar o mestrado. Cheguei a estourar o limite de faltas em duas disciplinas, o que já teria sido o “passaporte” para a minha reprovação. Por sorte, tomei consciência depois e consegui conversar com os professores.

O mestrado é um processo de grandes mudanças em nossas vidas, e, às vezes, nós estamos resistentes a essas mudanças. Muitos desistem no meio do caminho por acreditarem que não vale a pena tanto esforço, pela falta de valorização ou por outro motivo, mas, confesso, o dia que me tornei mestre, foi um dos momentos mais gratificantes da minha vida.

Share on Facebook