História da Língua Portuguesa: “tesouro”

História da Língua Portuguesa

Produzi o texto a seguir para a disciplina História da Língua Portuguesa e Ensino de Português como Segunda Língua, enquanto ainda era aluno de graduação. Não me refiro, no texto, tecnicamente, a representações fonéticas relativas à descrição da Língua Portuguesa. Achei interessante compartilhá-lo. O texto constitui algumas reflexões acerca da história da Língua Portuguesa em relação à grafia do vocábulo “tesouro”.

  • O vocábulo “tesouro”
    Essa palavra já era atestada no grego e no latim: thèsaurósthesàurus, respectivamente se excluirmos o empréstimo do grego para o latim e nos concentrarmos desde o latim Clássico até o Português arcaico, então, nós teríamos as seguintes formas dessa palavra atestada: thesaurus > thezouros > tesouro. Por uma questão de adequação lexicogênica, a forma da palavra do latim thesaurus a ser usada pra análise deve ser a do caso acusativo, q termina em “thesaurum”, no sg., e “thesauros”, no plural. A primeira mudança que observamos refere-se ao fato de que a queda da vogal nasal “m” ao final da palavra no sg. e também da mudança da vogal u em “um” para “o” acompanha as palavras que vieram dessa rota, já atestada no corpus do português arcaico. Isso se deve à mudança que se passou, ainda, entre o latim clássico e vulgar, do sistema vocálico dessa língua à medida que a duração da vogal tornava-se menos fonêmica (importante para a distinção do sentido fonético de uma palavra) e que a intensidade da vogal ganhou maior preponderância, as vogais longas do latim clássico mergiram.
    As vogais breves u e i passaram a ficar mais próximas e menos distintas das vogais “e” e “o”, o que explica a mudança atestada de “thesaurum” para “thezauro”
    uma vez que o u em “um” tratava-se de uma vogal breve e ainda mais pela sua posição átona, que passou a fazer diferença com a mudança de preponderância vocálica de um sistema durativo para um sistema tônico.
    Em relação a outra mudança fonética principal por que essa palavra passou, trata-se da mudança, como podemos atestar no corpus, de “au”, de thesaurum, para “ou” em thezouro. Isso também se deve à mudança do sistema vocálico ainda no latim. se traçarmos sua origem, nota-se que esse fonema veio a ser reconstruído no proto-indo-europeu como “àw”; no latim este som realizou-se como “àu” (note duração da vogal principal do ditongo), porém, como a vogal “a” longa do latim passou, no latim vulgar, a ser percebida da mesma forma que a curta. Esse som passou para “au” que, por sua vez, ainda no latim passaria para “ou” enquanto em outras línguas esse som daria um próximo passo ainda cedo e seria transformado em simplesmente “o”, ou seja, ocorreu a queda do ditongo (e. g. Francês antigo: trésOr). Em Português, esse som permaneceu e nós o percebemos sendo usado como OU na palavra “thezouros”. Mesmo que nossa ortografia moderna nos mostre isso, atualmente há uma tendência mesmo em Portugues de realizar esse som que antes era “ou” como um simples “o” assim assim como em espanhol se diria “tesoro”, o que se tem visto é pronunciarem a palavra “tesouro” no português moderno como /tezoru/. Por fim, a terceira alteração principal da palavra encontra-se exatamente nesse fonema que é representado ortograficamente pelo S, mas que, em Português arcaico, já nos dava sinais de sua real pronunciação: /z/. Para tanto, a ortografia não é tão confiável para saber que som a letra S representa em diversos exemplos, mas, no corpus que temos,  a palavra tesouro encontra-se já grafada com a letra Z, então podemos inferir que houve já uma alteração fonética, desde o latim, que pronunciava essa palavra SEMPRE como /s/ para o português arcaico.
    te.sou.ro, masculino
    grande porção de dinheiro, jóias ou objetos preciosos

    TESOURO

  • coisa valiosa
    riqueza
    dicionário
    É possível perceber que, no texto, “tesouro” está sendo usado em conjunto com terra com a ideia de se encontrar na terra grandes tesouros tesouro nacional, tesoureiro.
    Mas se essa palavra tivesse seguido a mesma trajetória que a palavra tesouro, ela seria falada atualmente “oureo”.
    tesouro
    te.sou.ro
    sm (lat thesauru) 1 Grande quantidade de dinheiro, jóias ou outros valores importantes. 2 Lugar onde se guardam esses valores. 3 Dir Coisa ou conjunto de coisas preciosas de cujo dono não há memória, e que jaziam intencionalmente escondidas ou ocultas num prédio. 4 Ministério da fazenda. 5 Riqueza. 6 Lugar e arrecadação de riquezas. 7 Relíquias e ornamentos de valor que se guardam em certas igrejas. 8 O lugar onde se guardam esses objetos. 9 Coisa de muito apreço; coisa muito útil, excelente. 10 Qualquer objeto oculto e precioso descoberto por acaso. 11 Fonte, manancial. 12 Repositório de informações úteis. 13 Coleção de escritos de bons autores. 14 Pessoa a quem se tem profunda afeição. 15 Lista de termos autorizados para indexação e recuperação da informação, em um determinado sistema de documentação. T. da memória: os conhecimentos conservados na memória. T. de Baco: o vinho. T. de reservas: tesouro em que só se toca em última necessidade. T. Nacional: o mesmo que Tesouro Público. T. Público: a) administração incumbida da gerência dos dinheiros públicos; erário; b) repartição pública onde se arrecadam os rendimentos do Estado; c) o conjunto desses rendimentos.

Fontes utilizadas para elaboração do texto: não as encontrei (fonte desconhecida). Esse texto é um esboço de um trabalho que encontrei em meu e-mail meu.

Share on Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *