Revisão de Tese de Doutorado

Prof. Me. Anderson Hander, Revisor de Textos

Sou Revisor de Textos há mais de dez anos. Revisei teses e ofereci consultoria para pesquisadores de diversas universidades federais brasileiras. Também participei de diversas defesas de doutorado e desenvolvi pesquisa na universidade, na graduação e pós-graduação. Revisei teses da área de saúde, exatas e humanas em geral. Conheçam o meu portfólio e currículo para mais informações sobre o meu trabalho.

As peculiaridades do gênero textual tese

Teses de doutorado devem ser revisadas por profissionais que tenham formação mínima em nível de mestrado ou de doutorado. Além disso, é preciso que o Revisor de teses tenha experiência com pesquisa e perfil de pesquisador. Há algumas peculiaridades a respeito do gênero acadêmico tese que apenas Revisores pesquisadores, mestres e doutores, podem observar. Por exemplo, na área de Educação, o uso do termo “aluno”, em dissertações e teses, é bastante criticado por pesquisadores. Na saúde, há bastante crítica, também, ao termo “portador”, por exemplo, “portador de necessidades especiais”.

Para o caso de Formatação de Texto, é preciso que o Revisor tenha  conhecimento contextualizado das normas de formatação de trabalhos acadêmicos. Por exemplo, é muito comum que alguns clientes encaminhem trabalhos em que tabelas são, indevidamente, intituladas como quadros ou vice-versa. Tabelas são vazadas nas laterais e contêm informações numéricas. Quadros são fechados nas laterais e até podem apresentar alguns números, mas o enfoque da informação do quadro não é qualitativo, não se refere a porcentagem, por exemplo.

Constantemente, recebo teses para revisão de pesquisadores da UFRJ, UNB, UNICAMP, UFMG, UFG, PUC, e, geralmente, realizo, para cada 200 laudas enviadas, quando o texto não está muito mal escrito, entre 30 a 40 alterações por lauda. Quando o texto tem sérios problemas, essas alterações passam de 100 por página. Esses números revelam o que eu sempre digo a todos os meus clientes: TODO TEXTO PRECISA SER REVISADO, seja ele redigido por um doutor, mestre ou mesmo por um linguista.

A importância do Revisor de Texto

Apesar de ser importante o planejamento do próprio texto do autor, bem como o desenvolvimento deste, Revisão de Texto deve ser realizada por um terceiro. Afinal, os filósofos já diziam que os outros veem melhor. Vale ressaltar que o olhar de qualquer um, ainda mais quando este é o autor de um texto, vicia. Portanto, embora eu acredite que autores devam revisar, também, os seus próprios textos, para garantir maior qualidade e eficácia no processo de Revisão, o texto, necessariamente, deve ser encaminhado a um Revisor de Textos.

É preciso de muito cuidado para buscar um profissional na área de Revisão de Textos. A máxima que todos nós conhecemos: “o barato sai caro”, infelizmente, é verdadeira no caso de ofício de Revisão de Texto. Não confiem a um estudante que não tem formação na área de Letras o seu texto, “fruto” de anos de investigação. Valorize o seu trabalho e o seu próprio texto. Portanto, encaminhe-o a um profissional com formação e experiência na área.

Orçamento para Revisão de Tese de Doutorado

Revisores de Textos e Tradutores utilizam contagem de palavra ou de lauda para realizarem orçamento. No mercado, uma lauda varia entre 1200 a 1800 caracteres com espaços. A minha contagem considera 1300 caracteres. O custo de meus serviços varia entre 4,00 a 12,00 reais por lauda, dependendo do tipo de serviço solicitado. Consulte a tabela de preços atualizada e conheça os tipos de serviços que ofereço.

Contato

Solicite orçamento para um de meus e-mails: andersonhander@gmail.com ou servicos@criteriorevisao.com.br

Share on Facebook

Revisão de textos acadêmicos

Compartilho, neste post a respeito de Revisão de Textos acadêmicos, cinco razões pelas quais acredito que o seu texto deva ser revisado por um profissional especializado em Linguística, com formatação em Letras, curso de Mestrado/Doutorado, também, nessa área. Não entregue o seu texto nas mãos de profissionais de outras áreas, ou, simplesmente, nas mãos de professores de Língua Portuguesa que não tenham experiência, especificamente, no ramo de Revisão de Texto.

5 razões pelas quais você deve revisar o seu texto com profissional especializado

  1. A dissertação de Mestrado e Tese de Doutorado, diferentemente de outros gêneros textuais, que são mais popularmente conhecidos, contêm especificidades que devem ser levadas em consideração durante a Revisão de Texto. A atenção a essas especificidades, que dizem respeito à maneira pela qual o texto é desenvolvido, bem como envolve questões relativas ao desenvolvimento de pesquisa em si, não é, comumente, dada por aqueles que não têm experiência na pós-graduação, especialmente, em nível de Mestrado. A graduação não prepara estudantes, especialmente oriundos do curso de Letras, para desenvolverem pesquisa. Muitas vezes, o mestrado é o primeiro contato eficaz de formação de um pesquisador. Sem essa base consolidada, o olhar do Revisor de Texto torna-se limitado. Além disso, é importante, também, que o Revisor tenha experiência com revisão de dissertações de várias áreas, pois cada ciência tem os seus próprios paradigmas científicos, bem como segue orientações específicas para o desenvolvimento de textos acadêmicos.
  2. Evite encaminhar o seu texto para ser revisado por alunos de graduação ou por pessoas que não tenham formação, específica, na área de Letras. Desconfiem daqueles que propõem, apenas, algumas poucas alterações em seu texto ou que não trazem comentários relativos a estruturas que precisam ser reformuladas. Jornalistas dizem-se, muitas vezes, Revisores, Professores de história, mas não têm formação para isso. Da mesma maneira que um profissional na área de Letras não tem formação para atuar em áreas como jornalismo, o profissional de jornalismo não tem formação para atuar na área de Letras, como é o caso do ofício de Revisão. Ocorre que, em virtude de o curso de jornalismo ter maior prestígio social, os estudantes dessa área se empoderam desse fato para oferecer, indevidamente, esse serviço. Revisores de texto precisam de formação em linguística. Estudantes de Letras estudam semântica, sintaxe, morfologia, morfossintaxe, latim e várias outras disciplinas que são essenciais ao olhar do Revisor de Texto, estudantes/profissionais de jornalismo, ao contrário, não têm essa formação. Se eu acredito que nem o curso de Letras é suficiente para formar um Revisor, imagine em relação à formação de estudantes de jornalismo e história… cuidado!
  3. Muitos estudantes intitulam-se bons leitores e conhecedores da Língua Portuguesa. Ser um bom leitor não necessariamente torna alguém um bom Revisor de Texto. Um bom Revisor de Texto, além de ter formação específica na área de Letras e, também, na própria área de Revisão de Texto, precisa de ter anos de experiência nessa área, revisando diversos gêneros textuais. Os olhos de quem, simplesmente, lê não são os mesmos de quem Revisa e trabalha com Revisão de Texto. Inclusive, posso dizer por experiência própria, o meu olhar sobre qualquer texto, mesmo quando lanço um olhar curioso como “leitor”, não é o mesmo desde quando comecei a trabalhar na área de Revisão. Quando Reviso um texto, estou próximo do meu consciente.
  4. Muitos professores de escolas, além de conciliarem o ofício de Revisão com suas atividades em sala de aula, o que diminui, acredito, a qualidade do serviço, em virtude de estes, apenas, compreenderem este ofício como “um bico” e de não se dedicarem o tempo que deveriam para o ofício, não têm conhecimento suficiente sobre o texto acadêmico, especialmente em nível de mestrado. Não desmereço o trabalho de meus colegas, mas acredito que o fato de um Professor revisar textos de escola (muitas vezes sem nem serem pagos para tal, trabalhando sobre pressão) não constitui uma boa justificativa para que estes revisem textos acadêmicos, que necessitam de extrema atenção e cuidado.
  5. Desconfiem de profissionais que oferecem resultados absolutos, daqueles que não deixam claro a importância de o texto chegar às mãos do Revisor com certa qualidade, para que o serviço, de fato, seja eficaz e a publicação do material seja satisfatória. Se você, pesquisador/estudante, não desenvolveu uma boa dissertação/tese, não acredito que um terceiro, um Revisor de Texto, fará “milagres” em seu texto. O fato de o texto ter sido mal formulado por você limita bastante as contribuições que um revisor pode lançar ao seu trabalho acadêmico. Isso parece irracional, certo? Mas não. Não espere e não pense que o Revisor de Texto fará o seu trabalho, desconfie daqueles que afirmam ser possível trazer contribuições em nível de conteúdo. O papel do Revisor não é este. Ele pode até trazer um olhar mais acadêmico ao seu trabalho, em relação á organização do gênero textual em si, mas não deve, jamais, por exemplo, redigir por você. Revisores não são autores, eles trazem contribuições ao seu trabalho e estas dependem, obviamente, da qualidade em que o seu texto chega às mãos desses profissionais.

 

 

Share on Facebook

Alguns trabalhos revisados em 2016

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS). Escola de Educação Física. Programa de Pós-graduação em Ciências do Movimento Humano. Mosiah Brentano Rodrigues. Programa Bolsa atleta e sua configuração no cenário esportivo brasileiro. Porto Alegre. 2016. Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dissertação de Mestrado. (Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação conforme normas da ABNT).

Universidade de Brasília (UnB). Instituto de Letras. Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução. Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada. Camila Oliveira Macêdo. (RE)Planejamento de cursos de Português como Segunda Língua: uma perspectiva de política institucional. Brasília. 2016. Dissertação de Mestrado. Revisão Ortográfica e Gramatical.

Universidade Federal Fluminense. Wagner de Araujo Rezende. Laboratório de Tecnologia, Gestão de Negócios e Meio Ambiente. Mestrado em Sistemas de Gestão. Identificando padrões de comprometimento do Profissional em situação de crise econômica do mercado brasileiro: estudo de caso de uma empresa de varejo no estado do Rio de Janeiro. 2016. Revisão Ortográfica e Gramatical.

Universidade de Pernambuco. Leitura da farsa da boa preguiça como motivação ao letramento literário na EJA. Luzia Cristina Magalhães Medeiros. Dissertação de mestrado. 2016. (Revisão Crítica e Formatação conforme normas da ABNT).

Facultad Interamericana de Ciencias Sociales (FICS). Mestrado em Ciências da Educação. Luciana Carvalho dos Reis. A formação do leitor no Ensino Médio: competências e habilidades no Ensino de Literatura Machadiana. Asunción, Paraguay. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Bento Gonçalves. Rafael de Souza. Um olhar para a temática energia ao longo da história à luz da perspectiva ciência, tecnologia e sociedade. Trabalho de Conclusão de Curso. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

O processo de avaliação escolar: intervenção na EJA da E. M. Eurica Alves Moreira de MG. Nayara Cavalcanti Padro e Magna Campos. Trabalho de Conclusão de Curso. Artigo científico. Minas Gerais. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação conforme normas da ABNT).

Universidade Federal de Ouro Preto. A instituição da prática pedagógica como principal eixo de reflexão da avaliação e aprendizagem da escola. Elis Regina Maia do Nascimento. Luciana Gomes Castanheira. Artigo científico. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). Deleze e Guattari: sobre a conjugação dos fluxos descodificados e a subjetividade capitalística. Artigo científico. Jonivan de Lima Santos. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPTSP). Eduardo Briguenti Vieira. Análise Arquitetural de Sistemas de Localização para Ambientes Fechados. Dissertação de mestrado. Mestrado em Engenharia da Computação. São Paulo. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical).

Instituto de Ensino e Pesquisa (INPER). Programa de Mestrado Profissional em Economia. Karine Córdoba Thurler Farias. Abertura e Inflação. São Paulo. Dissertação de Mestrado. 2016. (Revisão Crítica e Formatação).

Fundação Dom Cabral (FDC). Paulo Henrique Souza. Análise Financeira do Projeto de Investimento de Capital na Unidade CIPATEX Adesivos. Nova Lima. 2016. (Revisão Ortográfica e Gramatical e Formatação).

O Céu não é o limite: vá mais além. Vilson Guedes. Livro. 2016. (Revisão Crítica).

Contatos

Facebook: https://web.facebook.com/criteriorevisao/ (curta a nossa página no Facebook!)

Telefone: (61) 99801-6596 (Whatsapp)

Skype: criteriorevisaotextual

E-mail: andersonhander@gmail.com ou servicos@criteriorevisao.com.br

Instagram: @criteriorevisao (siga-nos!)

Aguardamos o seu contato.

Share on Facebook

Revisão de dissertação de mestrado

Revisão de dissertação de mestrado

Entre em contato conosco:

https://www.facebook.com/profile.php?id=100006847726138

Telefones: Fixo (61) 30369342 – Tim (61) 81377742 – (61) 81654058 (RECADOS) ou Claro (61) 93196467

E-mail: andersonhander@gmail.com ou servicos@criteriorevisao.com.br

ÚLTIMOS SERVIÇOS REALIZADOS:

Serviços prestados para empresas, Ongs e órgãos públicos:

1. Capital Steak House. Cardápios de vinhos e comidas. Brasília–DF. (Cardápios). 2015.
2. Instituto Berço da Cidadania (IBC). Reconstruindo Vínculos. 2015. Brasília – DF. (Revista). 2015. (Revisão, diagramação e projeto gráfico.)
3. Organização das Nações Unidas. Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). (Planos de Ação). Brasília– DF. 2015.

Serviços prestados para estudantes e escritores/outros:

1. Carlota Bomfim. Eram os deuses chineses. Literatura. 2015. Natal – RN. (Livro)

2. Luciana Teperino. Cidades flutuantes: uma história, uma prática, um futuro. Programa de Pós Graduação em Urbanismo – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 2015.

3. Valkíria Lucena Silva. Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB). A responsabilidade subsidiária nos contratos de terceirização e as consequências socioeconômicas para o obreiro. (Monografia). Brasília–DF. 2015.

4.Leonardo Viana Costa e Silva. Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa.Contribuições da Psicologia evolutiva pós-junguiana sobre a compreensão da sensação de vazio existencial do homem moderno. Sete Lagoas – MG. (Monografia). 2015.

5. Michelle Passos Leite Galvão. Universidade de Ensino Superior Ingá. Mordida aberta em crianças. Brasília–DF. (Monografia). 2015.

6. Rodrigo Marquez Martins de Oliveira. Programa de Pós-Graduação em Ciências do Comportamento, Universidade de Brasília (UnB). Metacontingência: um experimento com variabilidade operante do produto agregado. Universidade de Brasília (UnB). Brasília–DF. (Dissertação de mestrado). 2015.

7. Bruno Andrada Peña. Fundação Getulio Vargas. A locação em shoppings centers e a liberdade no pacto das condições nos contratos firmados entre lojistas e empreendedores. (Trabalho de conclusão de curso de especialização). Brasília–DF. 2015.

8. Fabrícia da Hora Pereira. Universidade de Brasília. Programa de Pós-graduação em Política Social. Desdobramentos da adesão do Governo do Distrito Federal à Política Nacional para População em Situação de Rua”: um caminho para expansão dos direitos sociais e ampliação do acesso deste grupo populacional a tais direitos?. Brasília–DF.(Dissertação de mestrado). 2015.

Share on Facebook