Reescrita de Textos

Reescrita de Textos

Partindo da concepção de que a Revisão é um processo recursivo (Hayes & Flower, 1980; Collins & Gentner, 1980; Hinckel, 1991; Serafini, 1992; White & Arndt, 1995), mostrando a ideia do texto em progressão, observa-se a reescrita como oriunda dessa configuração; isto é, a reescrita nasce a partir de revisões efetuadas no texto. Segundo Gehrke (1993), a Reescrita de Textos é vista como um processo presente na revisão, como um produto que dá continuação a esse processo. Na verdade, é um produto que dá origem a um novo tipo de processo, permitindo uma nova fase na construção do texto.
De acordo com Gehrke (Op. cit.), a reescrita, muitas vezes, se confunde com a revisão, por estar presente no processo desta. Nesse momento, o autor está produzindo, ao mesmo tempo, a leitura de seu próprio texto, ou seja, está analisando, refletindo e recriando sobre sua construção 1.
Além de aprimorar a leitura, a reescrita auxilia a desenvolver e melhorar a escrita, segundo Chenoweth (1987), ajudando o aluno-escritor a esclarecer melhor seus objetivos e razões para a produção de textos. Nessa perspectiva, esse autor considera que reescrever seja um processo de descoberta da escrita pelo próprio autor, que passa a enfocá-la como forma de trabalho, auxiliando o desenvolvimento do processo de escrever do aluno.
Os estudos de Seguy & Tauveron (1991), sobre o discurso avaliativo de alunos, tendo seus próprios textos e o texto de um colega como análise, demonstram que as observações que levam à reescrita são, na sua maioria, relacionadas a aspectos formais, a correções gramaticais. Em levantamento sobre os comentários dos alunos, esses estudiosos evidenciaram que os termos utilizados para designar as operações de reescritura eram: “trocar, corrigir, apagar, organizar, retificar, modificar, continuar, juntar, ampliar, ordenar, desenvolver, melhorar, aumentar e precisar” (p. 134). Nota-se que esses termos refletem a visão de revisão e reescrita dos alunos envolvidos na pesquisa, sendo que a maioria diz respeito a reestruturações formais, a correções ortográficas.

MENEGASSI, Renilson José. Da revisão a reescrita: operações linguísticas sugeridas e atendidas na construção do texto. Mimesis, Bauru, v. 22, n. 1, p. 49-68, 2001.

Disponível em: http://caringtext.com.br/files/da-revisao-a-reescrita-operacoes-linguisticas-sugeridas-e-atendidas-na-construcao-do-texto.pdf

Share on Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *